Surgical Strike 2

Surgical Strike 2

Nurses are still fighting for a dignified Career and for the NHS.

  • 423945

    raised

    106% of 400 000€

    10842 backers

  • 28/01/2019

    Expired on

  • Completed

    This project has been successfully funded

Nurses are still fighting for a dignified Career and for the NHS.

The Nurses are still fighting for a Career and for the NHS.

Portuguese nurses, recognized for their quality and competence in various parts of the globe and neglected in their own country. Essential elements in the structure of the NHS, they aim at this strike to see recognized legitimate long-delayed claims, namely in the Nursing Career.

A NHS capable of meeting the needs of citizens depends, among other things, on motivated, committed professionals with adequate working conditions. We want the Portuguese to continue to have access to quality health care without having to resort to the private system, which many, because of economic difficulty, can not access.

The NHS is at risk and, being one of the greatest Portuguese achievements, we must unite to defend it, fighting for Nurses is also fighting for the NHS

The Portuguese Nurses, over the years, have selflessly fought and made the humanly possible to maintain the quality of care provided in the NHS. However, professionals who do not have a worthy career, who have not progressed for more than 13 years, who do extraordinary work unnecessarily because tutelage does not hire more professionals (when thousands of nurses are obliged to emigrate), a profession of a painfulness that few will have, that even as graduates are not remunerated recognized have reached a point where they say BASTA.

The forms of struggle adopted to date have not been able to achieve our legitimate pretensions, so we decided to change the way we fight and bet on a strike in the Operational Blocks and from here was born the Surgical Strike format.

Despite the impact that the Surgical Strike has had on guardianship services, there is no sign of listening to the Nurses, so, lamenting the constraints caused to the users, there is nothing left for the Nurses other than to continue fighting and intensify the same, extending the paralysis to five more Hospitals, and as a strategic measure will not be announced at this time.

To support the continuity of the ongoing strike, it is necessary to launch a new solidarity fundraising campaign in the same way that the first campaign took place.

About the author

Nurses of the practice and regardless of the contractual link, we continue to rely on SINDEPOR and ASPE in launching a new notice of strike very briefly.

At another level, we continue to count on the support of the National Movement of Nurses and the National Movement of Nursing Specialists in Maternal and Obstetrical Health.

The solution, we believe, will be to negotiate without further delay a decent career for the Nurses! We want the unions calling for the strike to be called upon to negotiate a dignified Nursing Career that does not differentiate nurses with Individual Work Contracts (CITs) and Public Employment Contracts (CTFPs) and based on the guiding principles signed by all unions.

We must continue to struggle, but for this we need the contribution of ALL of us, Nurses and all Portuguese who recognize the value of this professional class, to the bottom with whatever value you can. Being that it would be desirable a contribution in the minimum value of 20€.

Budget and due dates

The goal to achieve in this campaign is € 400 000.

The management of the fund will be done by the same group of Nurses who created and invigorated the STRIKE SURGERY.

We may have to, depending on the response of the guardianship to this new measure, request in the medium term reinforcement of this fund.

A percentage of 7.5% plus VAT corresponding to the PPL utilization rate will be deducted from the total amount. We tried to find cheaper solutions to fund raising, but this was the most transparent, economic and practical way we could find. You can find more information about PPL on the platform itself.

If at the end of the strike and with all our claims taken care of remaining money in the solidarity fund, this amount will be donated to a social solidarity institution.

The deadline for the collection of funds will be on 01/14/2019.

This campaign is all or nothing, which means that if on 14/01/2019 we have not reached the goal the funds will be returned and the continuation of the fight called into question.

Colleagues we will not give up until we reach the proposed goals, we can not lower our arms at this moment, we have to maintain our position, by the Portuguese Nurses for our dignity within NHS that needs change.

  • Invest with
    20€ or more

    One for all and all for one!

    8800 backers

  • Invest with
    50€ or more

    United nurses will never be beaten!

    1029 backers

  • Invest with
    100€ or more

    Enough is the main word, we'll all be stronger together !!!

    636 backers

Tue, 12/11/2019 - 21:44

Tue, 02/07/2019 - 10:45

Destino do fundo GC

O presente formulário tem por objectivo permitir que todos os que contribuíram para o fundo angariado, que serviu de suporte das GC1 e GC2, se pronunciem relativamente ao destin...

Read more

Sat, 09/02/2019 - 02:47

Deixar de ser Anónimo!

Caros colegas Enfermeiros e apoiantes da nossa causa e que contribuíram para o fundo solidário de apoio aos colegas em greve. Como sabem estamos a ser acusados de ter apoian...

Read more

Fri, 01/02/2019 - 14:28

Payout completed

The raised funds have been transferred to the campaign owner

28/01/2019

Campaign ended

The campaign successfully raised the initial target

Sat, 12/01/2019 - 10:52

100% reached

WE DID IT! We met our initial target but the fundraising can continue

Sun, 06/01/2019 - 11:16

50% reached

We've just achieved half the target! The glass is now more full than empty ;)

Tue, 11/12/2018 - 17:58

First five backers

We've gathered the first 5 backers. Hurray!

Campaign launched

11/12/2018

Join us so you can take a part in this campaign. Register

  • Nelson Miguel Domingues Goncalo

    GREVE CIRÚRGICA 3

    Quanto ao destino do dinheiro angariado Greve Cirúrgica 3 porfavor!!!... ou já deitaram a toalha ao chão?!

    Log in or register to post comments

  • Greve Cirúrgica

    Destino do fundo GC

    O presente formulário tem por objectivo permitir que todos os que contribuíram para o fundo angariado, que serviu de suporte das GC1 e GC2, se pronunciem relativamente ao destino a dar ao dinheiro. Agradecemos que o mesmo seja devidamente preenchido e enviado até às 13h do dia 5 de julho de 2019.

    LINK PARA FORMULÁRIO:
    https://docs.google.com/forms/d/1FgeoFJbP0ZueiRd_5O5fda7OD9BkrftMkEx325w...

    Log in or register to post comments

  • Eng.º Perfeito Aguiar

    SNS a defender sempre ...

    São a favor de um SNS forte e em, que os privados complementem o serviço público.
    Por isso disse contra os privados se estiverem a financiar esta greve, que não acredito, pois estariam a inflacionar os ordenados dos seus enfermeiros, que são muito mal pagos em relação aos preços que levam aos seus utentes!

    Log in or register to post comments

  • Eng.º Perfeito Aguiar

    Estava como anónimo, mas nunca o fui!

    Estou a favor do SNS e contra os privados!
    Apenas acredito que os enfermeiros merecem ter finalmente a justa recompensa.
    Sou engenheiro e não enfermeiro!

    Log in or register to post comments

  • Greve Cirúrgica

    Deixar de ser Anónimo!

    Caros colegas Enfermeiros e apoiantes da nossa causa e que contribuíram para o fundo solidário de apoio aos colegas em greve.

    Como sabem estamos a ser acusados de ter apoiantes anónimos que apenas querem destruir o SNS, como promotor eu Nelson Cordeiro e com o apoio dos restantes elementos da GC não acreditamos que tais pessoas existam entre os nossos apoiantes anónimos.

    Existe a possibilidade de alterarem o estuto de anónimo para o promotor da campanha que sou eu Enf. Nelson Cordeiro pelo bem da transparência e para mostrar a quem quer acabar com a luta dos Enfermeiros que não temos interesses obscuros e fora da legalidade.

    Por isso apelo a todos os colegas e amigos da Greve Cirúrgica que deixem de ser anónimos, sem ser necessário a justiça obrigar a ppl a fornecer esses dados.

    Estamos tranquilos porque sabemos que o facto de serem anónimos para o promotor não o são para a Ppl, assim peço para seguirem o passo seguinte para alterarem a condição de anónimo para conhecido do promotor através do seguinte link:

    https://ppl.pt/user/contributions

    Todas as pessoas que não tiverem sessão iniciada deverão iniciar, e depois carregar no botão que diz alterar, na coluna anónimo.

    Contamos com vocês
    Enf Nelson Cordeiro GC

    Log in or register to post comments

  • Paula MartinsGreve Cirúrgica

    Feito

    Feito

    Log in or register to post comments

  • Luzia GonçalvesGreve Cirúrgica

    Nunca fui Anónima, mas se o

    Nunca fui Anónima, mas se o meu nome não basta, Luzia, Enfermeira 18 anos e muitos trocos (faço 19 anos a 1 de Abril de 2019), mãe de 3 filhos! Já fui catequista, chefe de escuteiros e fiz algum voluntariado! Faço vários donativos para campanhas que acho válidas e Caro Sr. PM, Sra MS, Sr MF, se há outras que não dizem directamente com o pão que dá de comer aos meus filhos estas campanhas GC1 e GC2 dizem e portanto foi optando por menos algo que gostaria para mim e fazendo por algo que quero ver para a minha profissão que contribuí. Ofende-me que me chame de selvagem, de ilegal, que outros me chamassem de imoral! Não foi assim que a minha mãe me educou. Pode não acreditar mas para mim quando faço greve só estou a adiar o meu trabalho na sua maioria. terei de o fazer quase todo! Com a agravante que terei que reconvocar as pessoas! Nunca gostei de greves! Gostos muito menos de quando não tenho pensos medicados, vacinas, pílulas, que sim são roturas pontuais normalmente... mas para os meus utentes que "têm que apanhar 2 autocarros" é muito mau serviço público. Caro Sr. António Costa quem tem telhados de vidro não atira pedras que elas podem voar de volta. Pode demorar aos portugueses perceberem o mau serviço que está a prestar à nação no meio de tanta show off. Mas não me mete medo! Medo tenho eu de um dia os meus filhos me perguntarem de porque é que eu fiquei parada enquanto o meu país se afundava. Os enfermeiros estão a fazer manteiga!

    Log in or register to post comments

  • Maria Palmira Godinho De Paiva Ventura TrindadeGreve Cirúrgica

    Feito

    Feito

    Log in or register to post comments

  • Tiago Valente

    Desabafo

    Fui atirado para fora do país que me criou, educou e curou. Vi estes navegadores corajosos do SNS a ajudar a anónimos e efêmeros todos os dias sem que todo o valor e formação fossem recompensadas. A enfermagem foi parte constante da minha vida, em pequeno na urgência pediátrica (muitas horas sem descanso desculpa mãe!), em adulto passei eu a ajudar outros pequenos como aluno de enfermagem. É apenas uma pequena contribuição que lutam por um futuro melhor para a profissão, para o SNS e para todos os portugueses. Espero voltar num futuro breve de forma a ajudar os colegas e o SNS mas, para isso é necessário haver mudança e oportunidade.
    Como novos enfermeiros estamos a perder conhecimento de outros colegas, que no final de contas prejudica o utente.
    Porque já fazemos muito para tão poucos. Um bem haja aos colegas. E bons turnos se possível!

    Log in or register to post comments

  • Frederico Silva Amado

    Migalhas !

    Migalhas! Esta é a palavra que caracteriza a tentativa do ministério da saúde para negociar com os sindicatos que representam os enfermeiros. Será que o governo pretende corresponder às necessidades dos enfermeiros com migalhas?! A proposta que o ministério da saúde apresentou no dia de hoje é uma cheia de nada, senão vejamos: pretende pagar aos enfermeiros especialistas um valor que na prática já paga; pretende avaliar o desempenho dos enfermeiros e levar os mesmos a progredir como uma carreira geral ( o que prática corresponde a uma progressão de um escalão, em vez das 4 que lhes estão consagradas na legislação da carreira especial de enfermagem); pretende manter o vencimento dos enfermeiros abaixo do valor pago a qualquer outro licenciado ( não esquecendo que grande parte dos enfermeiros não são apenas licenciados, tem mestrados, especialidades, pós graduações, em suma todo um manancial de conhecimentos e competências que lhes permite cuidar o melhor possível); o governo não reconhece que o grau de complexidade da profissão provoca um desgaste físico, psicológico, emocional, familiar...; concluindo o governo não reconhece nos enfermeiros aquilo que são e o que produzem e neste sentido propõe migalhas!!!
    Qual será o resultado se os enfermeiros responderem na mesma moeda devolvendo também migalhas? Será que a pessoa que necessita dos cuidados de enfermagem também quererá apenas migalhas? Será que a população ainda não se apercebeu que a desmotivação que assombra a maioria dos enfermeiros impede a prática dos melhores cuidados a que têm direito?
    Assim o que eu gostava é todos tivessem respeito pelos enfermeiros tratando-os com a igualdade que merecem, e para isso é necessário reconhecer o justo valor do seu trabalho!!! Pois quem está sempre presente é o Enfermeiro!!!!

    Log in or register to post comments

  • Isabel CorreiaFrederico Silva Amado

    Subscrevo na íntegra.

    Subscrevo na íntegra.

    Log in or register to post comments

  • Filipe Gomes FernandesFrederico Silva Amado

    Subscrevo totalmente. NÃO

    Subscrevo totalmente. NÃO VAMOS DESISTIR.

    Log in or register to post comments

  • Marta FerreiraFrederico Silva Amado

    Subscrevo na íntegra!!

    Subscrevo na íntegra!!

    Log in or register to post comments

  • Anibal José Mendes

    Chegamos lá amanhã 12/01

    Chegamos lá amanhã 12/01 !! Com 2 dias de antecedência. Não podemos morrer na praia, aceitando trocos! A enfermagem e os seus profissionais, perderam muito.

    Log in or register to post comments

  • João Grilo

    Esta luta é pelo país!

    Cá para mim isto é cultural. Vejamos a Austrália (onde vivo e trabalho). Desde 1994 que enfermagem é a profissão mais respeitada​/bem vista, inclusivé acima da medicina que, actualmente, vem em segundo!
    http://www.roymorgan.com/findings/7244-roy-morgan-image-of-professions-m...

    ​Humm.... porque será! Eu tenho as minhas teorias da batata mas ao fim e ao cabo como a enfermagem não é algo da área da banca, automóvel ou fabril é díficil quntificar o seu valor. Assim, nós enfermeiros dependemos da opinião pública para mobilizar a vontade política. Quanto vale uma vida?? Depende não é. A da minha mãe ou a do puto que morreu agora com fome em África?. Opinião pública na Austrália permitiu que o racio enfermeiro/cliente seja 1 enfermeiro para 4 clientes!! Nas urgências? 1 para 3! Cuidados intensivos 1 para 1. O engraçado é que quem benificia com isto é, no fundo, o cliente.
    E é assim, os nossos caros Tugas não se apercebem do poder da sua opinião. Enfim, como me disse uma vez um "Sra Psicóloga", durante uma introdução social, "Ah, enfermeiro! Mudas fraldas não é?". Pois é, pode ser que um dia mude as tuas!

    Força Enfermeiros Portugueses!

    Log in or register to post comments

  • Ana

    Sou enfermeira, desde julho

    Sou enfermeira, desde julho de 2014, sem conhecimentos sem apoios, não demorei como tantos outros por circunstâncias muito particulares de via! Amo o que faço, ver que posso contribuir de forma positiva num momento de vida de uma pessoa ou família, ao apoiar e ajudar a ultrapassar o problema de saúde que enfrenta.
    No entanto, sou enfermeira, e sou com paixão e dedicação! Mas nada disso paga as contas ao final do mês, e todos têm as suas maiores ou menores! Sou uma das muitas pessoas do nosso pais que impreterivelmente necessita de trabalhar para fazer fase às mesmas!
    Não trabalho no SNS, não por opção mas por falta de vaga! E sim é verdade que por vezes os enfermeiros são cruéis com os enfermeiros, mas tal também se deve à atual situação que já se arrasta à mais de uma década!
    A mim não me causa particular incomodo a atual greve. Muito pelo contrario apoio-a, se se poderia tentar encontrar outra forma de a fazer também concordo, porque sem dúvida que quem sofre são os doentes!
    Mas estes sofrem diariamente no SNS e os colegas apenas querem ver as coisas a melhorarem! São as dotações seguras que não são cumpridas, e que são essenciais, são as horas de descanso, as horas extras (quando já se fazem turnos de 8 ou mais horas, porque apesar da redução para as 35h/semana as horas extras permanecem elevadas), a escassez de material que por vezes solucionaria um problema em dois ou três dias e passasse quase um mês para o resolver, é a falta de tempo para realmente "olhar" cada doente como ele é, o querer fazer mais é melhor e não ter maus a medir, entre muitas outras coisas! No entanto, tudo isto é ocultado, e apenas sai na comunicação social a questão remuneratória! Não me agrada!
    Mas uma coisa eu sei, se eu estivesse no SNS com 3 anos de experiência profissional, e ao meu lado estivesse um colega com mais experiência e eu mesma visse como referência e qualidade, seria penoso para mim trabalhar em tal injustiça! E como eu provavelmente!
    Todos estes fatores tem impacto, impacto negativo na saúde mental dos enfermeiros! E quer se quer quer não esta influencia a pratica diária! Mas ninguém olha para isto! Ninguém vê o desgaste do enfermeiro! Ninguém se lembra que o enfermeiro tem família! Ninguém se lembra que o enfermeiro fica a "segurar" vidas... é o enfermeiro sempre o primeiro a estar lá, basta um olhar desatento devido ao cansaço extremo em que a profissão esta que tudo se perde....
    Muitas vezes a divergência de opinião não o é na realidade! Eu própria tenho colegas que perante pessoas que não entre enfermeiros manifestam uma opinião e entre enfermeiros outra! Não são cínicos nem mentiras! São o reflexo da atual sociedade civil, em que se tem de ter muito jogo de cintura para "vingar"...
    É agora, para quem não conhece de perto a realidade dos enfermeiros, eu vou partilhar a minha, que ainda não é no SNS! Para receber 1200 (brutos) tenho de trabalhar 60h semanais, no entanto trabalho a recibos verdes, e 25% é retido na fonte, e 120 fica para a segurança social! No entanto, no meu local de trabalho como os enfermeiros são os únicos que não tem contrato, tenho de lidar com muita coisa! Também tenho amigos a terminarem a especialidade na área medica, que no internato já recebiam mais de 1400 e já se queixaram e reivindicavam mais! Algo disto bem para os media???
    Faz falta sim à Enfermagem portuguesa coesão e União! Só assim conseguiremos algo! E se é desta forma eu apoio!

    Log in or register to post comments

  • Anibal José Mendes

    Ter uma opinião dá muito trabalho

    Há muitas pessoas que falam da enfermagem e dos enfermeiros, mas felizmente não conhecem o seu trabalho. Nunca necessitaram de estar internados. Podem conhecer noutros contextos de trabalho. Mas estar a sofrer e precisar de ajuda durante a noite, fins de semana, feriados? Portanto ter uma opinião sobre nós, dá muito trabalho! Diria até dá muitos trabalhos. Falem de nós os que nos conheceram. Como sempre há pessoas que falam do que não sabem/conhecem. Passar 24 horas/horas internado, é muito diferente de ir fazer uma visita!!

    Log in or register to post comments

  • Carlos Pelixo

    A empresa do FUTURO

    Boa tarde partilhamos nas redes sociais vossa página.. Por gentileza poderiam ajudar nos também e partilhar nossa publicidade? Para que possamos angariar nossos fundos e realizar o projeto?

    Log in or register to post comments

  • Maria Silva

    Quando o direito à greve

    Quando o direito à greve sobrepõe o direito à dignidade humana, algo de muito mal se passa... Os valores perderam-se.
    Apoio que tenham que lutar pelos vossos direitos mas não apoio esta greve que está a ter consequências gravíssimas e não com contribuições monetárias...
    Profissionais de saúde de tão grande valor como vocês não deveriam fazer greves tão longas. Há doentes oncológicos que não estão a ser operados porque os serviços mínimos não são suficientes. Os hospitais estão um caos.
    Pensem em outras formas de lutar, não pondo em causa a vida das pessoas. Além disso, desta forma só estão a passar uma imagem má da nobre profissão que é ser enfermeiro.

    Log in or register to post comments

  • Eng.º Perfeito AguiarMaria Silva

    A greve e a dignidade!

    Compreendo o seu ponto de vista, mas temos de pensar na dignidade da profissão e, eu não sou enfermeiro!
    Lembre-se que a enfermagem é uma profissão muito digna e todos nós um dia iremos dela necessitar. É uma questão de tempo.
    O governo não quer saber da sociedade cível (não somos uma AutoEuropa) e há muito que o SNS está completamente abandonado.
    Lamento é ver a sociedade cível contra os enfermeiros que são o seu amparo, porque isto só acontece em Portugal. No Reino Unido e noutros países eles são reconhecidos e valorizados e até recebem prémios! São uma classe de emigrantes como queria o nosso "querido" Dr. Paços Coelho e, que agora o senhor primeiro-ministro pretende fazê-los regressar com um monte de nada!
    O que está em causa é uma greve porque os enfermeiros são a classe pobre do SNS (como disse o comentador Dr. Marques Mendes) e, como senhor ministro Centeno manda no dinheiro a ministra da saúde nada pode fazer! E acredito que esta ministra é uma boa pessoa e que realmente sabe que a greve é justíssima. Por isso ouve uma substituição por o anterior ministro já não aguentava tantas injustiças.
    Se está revoltada eu também, mas culpe os sucessivos governos que deixaram chegar a esta situação e, que pretende escravos para o SNS.
    Culpe também os deputados que não deixaram passar na Assembleia a proposta do bloco de esquerda.
    Um enfermeiro recebe apenas 1.200,00 € (brutos), da qual não existem aumentos há mais de 10 anos! Sem carreira, sem dignidade e com um valor mensal ridículo, para quem tanto sofrimento vê na sua profissão.
    Lembre-se que um deputado fora de Lisboa ganha de senha de presença diária 69,19 € * 22 = 1.522,18 + o vencimento 3.624,41 € mensal e ainda as despesas de deslocações e representação e, nada fazem por nós a não ser impedir que os outros (enfermeiros, polícias, etc.) tenham vencimentos e carreias condignas.
    O problema é que os políticos lançam para a opinião pública a sua incompetência e, nós desesperados vamos no caminho do cordeiro e atacamos aqueles que nos defendem.
    Sim, defendem porque com esta greve nada será como dantes e, o governo vai ter de investir finalmente em mais médicos, enfermeiros, auxiliares, equipamento e baixar as listas de espera. Como com a greve dos enfermeiros o governo em 3 meses vai reagendar e executar em 3 meses, as cirurgias adiadas pela greve, mantendo este ritmo podem acabar finalmente com as listas de espera.

    Log in or register to post comments

  • Eng.º Perfeito AguiarEng.º Perfeito Aguiar

    continuando ...

    Num dia deste ouvi uma pessoa dizer para uma enfermeira, mas vocês já não ganham vem, mais de 2.000,00 € por mês e ainda querem mais! Quando soube a verdade nem queria acreditar.
    Nesta greve está em causa a carreira e vencimentos congelados, que são ridículos para quem está sempre à nossa cabeceira quando temos necessidade. Dos políticos precisamos que façam leis que nos dignifiquem e por isso esses são os verdadeiros culpados!
    E lembre-se sempre de quando falar em vencimentos na opinião pública, com o seguinte argumento “ pronto ganham pouco, mas eu ganho muito menos”, para que deixem de pensar para baixo e subam a sua perspetiva no pensamento, como um deputado no parlamento disse a um digníssimo CEO que um trabalhador do estado teria de viver três vidas para obter o que ele ganha num ano!
    Como a sociedade cível não pode fazer um telefonema para o governo como fez a AutoEuropa (e muito bem), façamos com que o nosso voto possa valer um pouco mais elegendo aqueles que resolvam os problemas do país e, não sacudam a água do capote para aqueles que desesperados nada mais podem fazer, do que lutar até ao fim.
    Pobre sociedade cível que está enganada, mas um dia descobrimos finalmente aqueles que nos encobrem o pensamento e vira-se o feitiço contra o feiticeiro!

    Log in or register to post comments

  • Maria SilvaEng.º Perfeito Aguiar

    Concordo com tudo menos com a

    Concordo com tudo menos com a forma de luta. A minha mãe tem uma cirurgia prioritária, sendo doente oncológica, que foi adiada porque só existem 2 blocos de serviços mínimos num dos grandes hospitais do Porto.
    Eu sei que é os médicos que marcam a prioridade, mas sou da área da saúde e tenho conhecimento que já foram desmarcadas muitas cirurgias oncológicas prioritárias porque não há mais blocos. Certos casos mais graves estão a ocupar os blocos operatórios da urgência.
    Com isto sinto-me revoltada, cansada e a perder a esperança. São vidas que estão em risco.
    Os enfermeiros claro que merecem mais condições mas esta greve está a afetar muitas pessoas. A partir do momento que escolhemos uma profissão relacionada com a saúde temos que ter sempre em mente todos os juramentos feitos durante o curso, temos que ser não só humanos mas também PESSOAS.
    Sejamos mais pessoas. Pensemos noutra forma de luta, não nesta onde pomos vidas em risco.

    Log in or register to post comments

  • Eng.º Perfeito AguiarMaria Silva

    O desespero!

    Compreendo-a perfeitamente e estou consigo no sofrimento.
    Os serviços mínimos foram marcados e os enfermeiros ainda ofereceram salas adicionais.
    Pois esta é pressão que o governo pretende da sociedade civil para que nada se resolva, mas parece-me ter ouvido hoje na comunicação social, que os enfermeiros suspenderam a greve um dia para que sejam feitas as cirurgias urgentes; veja por favor se pode enquadrar o seu caso neste hiato de tempo!
    Estou com todos os que sofrem, pressionem para que a greve acabe, mas imponham condições ao governo para colocar um fim, porque como dizem nunca nenhuma urgência ficará por fazer.
    Inundem o SNS com e-mail, telefonemas e apoiem a ministra da saúde que não tem poderes para por um fim nesta luta.
    Vão para os hospitais e peçam informações sobre os vossos casos, porque sendo urgente a operação tem de se realizar como diz o sr. primeiro-ministro, pressionem os diretores hospitalares (existe os particulares, que não estão em greve, por enquanto) e já podem efetuar a operação.
    Os enfermeiros são Pessoas e também têm amigos e familiares que são também afetados.

    Os enfermeiros suspendem a greve, tudo se resolve e fica tudo como dantes!
    Se, por exemplo, os enfermeiros suspenderem a greve por 15 dias e nada se resolver depois o que se faz; culpam-se novamente os enfermeiros em greve!

    Log in or register to post comments

  • Susana ValverdeEng.º Perfeito Aguiar

    Obrigada pelas palavras que

    Obrigada pelas palavras que melhor não poderiam expor a realidade do que é ser Enfermeiro em Portugal e da não existência de Carreira já há muitos anos.
    Sou Enfermeira à 22 anos e sim ganho 1200 euros brutos. O que quer dizer que nem os 1000 euros levo para casa.
    O que me mantém no activo é a vontade que ainda existe de ajudar o doente. Fico feliz quando ao fim de um dia de trabalho( 12 h muitas VEZES), consegui dar o meu melhor e fazer com que a luta do outro seja menos dolorosa.
    Trabalho num bloco Operatório e garanto que todas as cirurgias consideradas pelos médicos, de necessárias e urgentes estão a ser realizadas.
    Como referi ser enfermeiro é colocar o doente na lista de prioridades.
    Tenho pena que as verdadeiras razões da greve não estejam a ser comunicadas pelos media da forma mais correta, e que a opinião pública fique um pouco mal sugestionada.
    Gostaria que não fosse necessário avançar com mais dias de greve.... Mas é muito injusto para nós enfermeiros que trabalhamos com Amor tenham sido anulados anos de serviço. Iniciei funções a 1997 e ganho como se tivesse acabado o curso hoje... Estou no 1 índice remuneratório da carreira...
    Sem mais... Espero que 2019 seja o Ano em que Enfermagem consiga o que quer...

    Log in or register to post comments

  • DéboraMaria Silva

    Diga-me qual é a greve que os

    Diga-me qual é a greve que os enfermeiros podem fazer que não prejudique os doentes?
    Fazemos greve cirúrgica, prejudicando os doentes que precisam de cirurgia.
    Fazemos uma greve geral e prejudicamos todos os doentes que estão internados.
    Para nós que trabalhamos na saúde, e nisto inclui médicos, técnicos e etc) é impossível fazer greves que não prejudiquem os doentes.
    Nós, enfermeiros, somos aqueles que dedicam a sua vida aos doentes, eu por exemplo, vou passar o natal e o fim de ano todo a trabalhar, 24, 25, 26, 31 e 1, praticamente não vou estar com a minha família para cuidar da família de tantas outras pessoas. Não sou reconhecida por isso.
    Trabalho por turnos que faz com que tenha um desgaste físico e mental drástico, daqui a uns anos não sei como estarei e mais uma vez não sou reconhecida por isso.
    Tenho todos os dias vidas nas minhas mãos, pessoas que dependem de mim e como é claro, não sou reconhecida por isso.
    Desde o momento que entrei no curso de enfermagem até o acabar, já sabia o que me esperava, mas o amor à camisola falou mais alto. Contudo, o amor e a dedicação pela profissão não é tudo, conta o reconhecimento monetário, se assim não fosse fazia voluntariado o resto da vida, conta o reconhecimento social.
    Lamento imenso todo o transtorno, a sério que sim, mas uma vez na vida temos de pensar em nós, ja que em todos os outros dias só pensamos nos doentes que precisam de nós.

    Log in or register to post comments

  • Maria SilvaDébora

    Eu concordo que merecem ser

    Eu concordo que merecem ser reconhecidos até porque têm uma profissão muito exigente e com responsabilidade enorme, acredite.
    Mas há coisas que não dá para entender. Esta é uma delas... porque tenho a certeza que se fosse um familiar seu com cancro também não entenderia.
    Os enfermeiros apresentaram uma proposta com o número de blocos de serviço mínimo e os sindicatos dizem que até estão a abrir mais. Posso dizer que pelo menos no hospital em questão não estão. No hospital em questão os enfermeiros garantem que todas os doentes oncológicos estão a ser operados e não estão. 2 blocos operatórios para todas as áreas médicas é muito pouco. É mesmo muito pouco.
    Esta situação está só a baixar a confiança que os Portugueses têm nos enfermeiros.
    Posso-lhe dizer que médicos falam mal dos enfermeiros e até enfermeiros falam mal da greve considerando-a "cruel". Já para não falar de ser uma greve financiada por donativos anónimos, dando aso a comentários de carácter político.
    Acho que merecem muito mais, mas poderiam fazer um dia de greve todas as semanas por exemplo por tempo indefinido para não causar tanto impacto, não estamos a falar de professores que fazem greve e os alunos não têm aulas,estamos a falar de enfermeiros que fazem greve colocando adultos e até crianças com cirurgia marcada e com nível MUITO PRIORITÁRIo em risco.
    Espero que nunca deixem de operar um ente querido com uma doença MUITO GRAVE por razões monetárias.
    O SNS é de todos, tem de haver respeito de e por todos, sem nunca colocar doentes em situações limite.

    Log in or register to post comments

  • DéboraMaria Silva

    Então perante toda esta

    Então perante toda esta injustiça não pode culpar o governo?
    Acha que se o governo realmente se importasse com os doentes já não teria negociado com os enfermeiros? Coisa que ainda não aconteceu!
    Faça pressão na administração do hospital, encha o SNS de mensagens e exigências.
    Não confunda aqui o culpado, desde sempre que existe milhares de cirurgias adiadas pela deficiência do SNS e do governo.
    No fim, todos iremos beneficiar desta greve, se o governo negociar irá haver mais enfermeiros, enfermeiro mais motivados, menos cansados e como tal irá melhorar e muito os cuidados de saúde.
    Não sei se sabe ou se tem consciência disto, mas a falta de enfermeiros que tem vindo a apresentar o SNS mata pessoas, não há tempo para tudo, não há enfermeiros para tudo e infelizmente só temos duas mãos. Eu por exemplo, a maior parte das vezes eu fico com 46 doentes só para mim. Consegue imaginar o que é cuidar, tratar e salvar (se for necessário) 46 pessoas? É difícil em formas que não consigo explicar, se acontecer algum desastre e mais do que um doente começar com complicações, consegue fazer as contas, eu sou uma para 46 doentes.
    Acredite ou não, existe muitos enfermeiros com familias em lista de espera para cirurgias que não vão ser realizadas tão cedo devido à greve, no entanto continuam aqui firmes a acreditar que tudo vai melhorar.
    Os médicos falam mal dos enfermeiros? Mas que novidade... Quando são eles a adiar cirurgias porque decidem ir de férias ou para congressos ninguém tem nada a dizer, coitados, também não são eles que vão para casa com 900€ limpos.

    Log in or register to post comments

  • Maria SilvaDébora

    Não sou de nenhum partido.

    Não sou de nenhum partido. Mas tenho perfeita noção que o país não consegue aguentar economicamente todas as exigências que têm vindo a ser feitas.
    Claro que concordo que merecem muito mais, e mais uma vez repito. No entanto, esta greve é uma greve que põe em causa muitas situações e só está a servir, pelo menos por agora, para denegrir a vossa imagem.
    Quando a minha mãe foi para o bloco operário para SUPOSTAMENTE ser operada sabe o que a enfermeira disse? "Claro que vai ser operada, a sua cirurgia é muito prioritária e os enfermeiros realizam todas essas cirurgias." olhando de lado a minha mãe. Sabe o que aconteceu? Ela não foi operada. E o mais engraçado é que não foi operada não porque a médica estava em congressos ou férias, não porque não havia material ou camas mas sim porque os ditos serviços mínimos sugeridos pelos senhores enfermeiros e aprovados pelo Tribunal não chegam.
    Uma greve financiada nunca será uma greve. Uma greve que ultrapassa o limite do aceitável nunca será uma greve mas sim um jogo de poderes e de interesses. Culpo o estado sim, mas também vos culpo pela falta de consideração pelo outro, por não ver a crueldade que tudo está a acontecer. São cirurgias, muitas delas graves, de foro oncológico, que não estão a ser realizadas. Em troco de quê? De uma luta que tão cedo não vai ser resolvida.

    Log in or register to post comments

  • DéboraMaria Silva

    Uma luta que tão cedo não vai

    Uma luta que tão cedo não vai ser resolvida? Veremos.
    Parece que só agora é que as pessoas se aperceberam que existe enfermeiros, que fazem falta e são importantes.
    Quanto ao denegrir a nossa profissão... Não há qualquer problema! Não somos só aqueles que mudam fraldas e não servem de muito?
    Quanto mais dizem que não conseguimos, mais tenho a certeza que iremos, se for preciso mais um mês de greve em janeiro, assim será.

    Log in or register to post comments

  • Maria SilvaDébora

    Acho que nunca ninguém

    Acho que nunca ninguém duvidou da importância dos enfermeiros. Mas reflita, acha que estar em casa devido a doações muitas delas anónimas faz sentido?
    Quem será sempre prejudicado serão os doentes, os doentes que pagam o vosso ordenado. Nisto tudo só há um lado que ganha, o setor privado. Será sempre assim, infelizmente.
    Uma greve que põe em causa o direito à vida é só surreal... Espero que ninguém da sua família esteja a passar por esta situação.

    Log in or register to post comments

  • DéboraMaria Silva

    Não tem de fazer ou deixar de

    Não tem de fazer ou deixar de fazer sentido. A greve é principalmente financiada por enfermeiros e famílias para que seja possível que os colegas consigam ter algum sustento (sim, algum, porque nunca irá chegar nem perto a um ordenado), se assim não fosse, ninguém consegue estar tanto tempo de greve, todos temos contas, casas e filhos para criar.
    A maior parte são anónimos? Onde? Acho que é melhor ir verificar os números. Eu própria doei anonimamente porque não me importo que o dinheiro vá para uma instituição se não for alcançado o objetivo.
    Se o setor privado ganhar, bom para eles, não tenho nada haver com o privado e de certeza que todas os enfermeiros que fizeram doações não têm ações no privado ou trabalham para ele,, quem pensa isso é só de rir.
    Acha que nunca ninguém duvidou da importância dos enfermeiros? Não sei se anda nas redes sociais ou vê televisão, mas claramente a opinião pública sobre nós, desde sempre, é que não servimos de muito mais sem ser dar banhos ou mudar fraldas, parece que agora todos acordaram e lembraram-se que afinal fazemos muito, muito mais.
    Não somos a Madre Teresa de Calcutá, eu adoro a minha profissão e faço isto com todo o coração, mas se o gosto pela profissão pagasse contas fazia voluntariado o resto da vida.
    Não é 900€ (O resto da carreira! Porque recebe isso um recém licenciado como um profissional que tem 20 anos de carreira) que paga as vidas que tenho todos os dias nas mãos. Não é 900€ que paga a responsabilidade que tenho todos os dias. Não é 900€ que paga a falta de enfermeiros.
    Volto a repetir, a falta de enfermeiros mata doentes, não são os médicos que estão sempre lá para cuidar e salvar quando acontece algum imprevisto, não são os auxiliares, não são os técnicos de diagnóstico.
    São todos importantes, mas para a opinião pública são todos mais importantes que os enfermeiros que não fazem nada por isso merecem o ordenado que recebem.
    Se o governo não negociar, o que depender de nós, iremos fazer mais um mês de greve seguido. Há mais de uma década que estamos neste impasse, a ser roubados e injustiçados, estamos cansados.
    E fico-me por aqui, os meus votos de melhoras para a sua mãe.

    Log in or register to post comments

  • Rui Ferreira

    Não desistam!

    Não desistam da vossa luta, justa e merecida! Já há demasiados anos que têm as condições de trabalho e carreira estagnadas.
    Reconheço muitos feitos deste governo, mas acho completamente errada a inflexibilidade e chantagem psicológica perante os vossos direito.
    E quanto à condenação moral que é relatada por parte da opinião pública e publicada, na minha visão, só demonstra o quanto não têm valorizado a importância do trabalho do enfermeiro.

    Força!

    Log in or register to post comments

  • João Pedro Monteiro

    "Greve cirúrgica"

    Tenham vergonha. Não ponham em causa os vossos direitos ao aderirem a uma "greve" financiada. Não façam com que se perca o respeito por vocês já que vocês estão a faltar ao respeito aos cidadãos. Vocês estão a contribuir para a morte do SNS e estão a denegrir o direito à greve. As greves não são financiadas. Não se deixem enganar pela bastonária que não está a fazer outra coisa que não seja o papel de defender a direita que pretende acabar com o SNS assim como os dois únicos sindicatos que não se pronunciaram quando o governo do Passos Coelho, que é do partido da bastonária, nos roubou a todos e também a vocês. Nessa altura a bastonária estava tão caladinha. Será que vivia noutro país? Será que andava tão distraída que não dava pela roubalheira que o governo do Passos Coelho fazia a todos? Ou será que estava tudo bem para ela?
    Pensava que os enfermeiros zelavam pela vida das pessoas mas agora já tenho dúvida. Greves financiadas são férias pagas à custa da saúde e, quem sabem da vida dos doentes que, com os seus impostos, lhes pagam os ordenados. O que vocês pretendem, parece, é ajudar os privados já que, o mais provável, é que para lá sejam mandados os doentes que carecem de intervenções cirúrgicas que vocês, com as grandes férias pagas que estão a usufruir, estão a impossibilitar de ser operados no SNS. Tenham vergonha.

    Log in or register to post comments

  • Nuno Fernando da Silva Pacheco de OliveiraJoão Pedro Monteiro

    Tenha voce Vergonha! Tenha

    Tenha voce Vergonha! Tenha vergonha por exigir o sacrificio aos enfermeiros em seu beneficio!!!
    "Pensava que os enfermeiros zelavam pela vida das pessoas mas agora já tenho dúvida." Duvide o que quiser... quem e enfermeiro sabe os seus valores e nao os tem que provar a si ou a ninguem...
    Se esta Greve nao surtir efeito espero que os colegas, entreguem todos a carta de demissao... porque afinal de contas... Porque ser enfermeiro em Portugal? Nao sera certamente pelo apoio da populacao ou governo, a enfermagem ao longos dos anos..Nao sera pelo salario... nao serao as fantasticas condicoes de trabalho... nao serao as horas extra nao remuneradas.... nao serao inclusive as horas extra nao remuneradas que afastam os colegas da familia...
    Diga uma boa razao para ser enfermeiro em Portugal?? Por favor, nos precisamos de ouvir isso... (especialmente quem emigrou e conhece respeito pela profissao que exerce, quer pelo governo quer pela sociedade).
    Remato com isto... Enfermagem nao e caridade!!! Medicina nao e caridade!!! Tecnicos de analise Clinica nao sao caridade!!! tantas outras valencias de saude nao sao caridade....
    Basta de chantagens emocionais....quer culpar alguem pela nossa greve, culpe o governo e ja agora culpe a sociedade, desde o cidadao comum aos Berardos de Portugal, por nao darem o devido valor ao seu SNS e nao se insurgirem ao ver o governo a financiar bancos, websummits e dar aumentos aos deputados em vez de cuidar de algo tao importante como o SNS!!!

    Log in or register to post comments

  • DéboraJoão Pedro Monteiro

    Abestanha-se de comentários assim

    "Pensava que os enfermeiros zelavam pela vida das pessoas mas agora já tenho dúvida."
    Vou então demitir-me e começar a fazer voluntariado o resto da vida, porque o que importa é só o amor à camisola, até porque isso paga contas.
    Ninguém está a ter férias. Nós enfermeiros, e não só, estamos a financiar está greve dos NOSSOS bolsos, e estamos a AJUDAR os colegas que estão a fazer todo um sacrifício, este financiamento NUNCA chega a um ordenado, é completamente uma ajuda para quem tem de pagar casa, contas e sustentar filhos.
    Ponha a mão na consciência e deixe de dizer barbaridades. Tenha vergonha.

    Log in or register to post comments

  • Paulo OliveiraJoão Pedro Monteiro

    "Greve cirúrgica"

    1 - greve financiada sobretudo por enfermeiros e seus familiares. De enfermeiros para enfermeiros.
    2 - A bastonária durante o governo de P. P. Coelho era um bastonário...
    3 - Os sindicatos a que se refere ainda não existiam...
    4 - Vou continuar de férias, se possivel + 45 dias em janeiro.
    5 - E o Sr., vai continuar por Marte ?? ou só está desinformado ?

    Log in or register to post comments

  • Maria SilvaPaulo Oliveira

    Enquanto isso a minha mãe,

    Enquanto isso a minha mãe, doente oncológica, que tinha cirurgia marcada não a pode realizar pois estavam piquetes de greve à porta dos blocos operatórios.
    Obrigada senhor enfermeiro.

    Log in or register to post comments

  • José GuimarãesMaria Silva

    Os enfermeiros em greve estão

    Os enfermeiros em greve estão a assegurar cirurgias acima dos mínimos! Em algumas situações (Ex Hospital santo António) foram operados mais de 60% das cirurgias programadas foram realizadas em alguns dias. Cirurgias Urgentes e Oncológicas estão a ser realizadas. De facto são os enfermeiros que estão em greve, mas a prioridade é da responsabilidade única e exclusivamente medica. Se a sua mãe tem uma cirurgia oncológica já devia ter sido realizada. As listas de espera para cirurgia oncológica estão a baixar em consequência da greve cirúrgica. no passado dia 21 todos os enfermeiros em greve compareceram no local de trabalho (conforme informação previa), mas algumas salas não abriram por falta de outros profissionais!

    Log in or register to post comments

  • Fátima AfonsoJoão Pedro Monteiro

    João Pedro sabe que os

    João Pedro sabe que os Enfermeiros tb pagam impostos?? Na sua empresa quem lhe paga o seu ordenado? pensa que é o patrão? não tenha clientes e vai ver se tem ordenado, aprenda que todos somos clientes e todos pagamos uns aos outros. acho uma tristeza as pessoas acharem que pagam aos funcionários públicos, será que eles não trabalham? será que ficam em casa e o dinheiro cai-lhe na conta?? E quanto à greve dos Enf. apoio incondicionalmente, mais que justa e já contribui 2 vezes. Culpem os sucessivos governos que sempre os esqueceu...e sabe porquê? porque uma greve normal (como numa empresa) não tem impacto não é visível, eles não podem mandar os doentes para casa e fechar os hóspitais têm que ter os serviços mínimos...mas como estão sempre em serviços mínimos ninguém dá por isso vão trabalhar na mesma e não recebem e o Estado fica com o que não lhes paga logo é o grande beneficiário. Quanto à bastonária, no tempo do passos coelho não era ela. PS: Não sou funcionária pública trabalhei durante 46 anos no privado...mas sou muito justa!!

    Log in or register to post comments

  • FERNANDO FLORES

    E se pensassem noutras

    E se pensassem noutras formas de luta que retirasse o "mexilhão" da contenda ? A não ser que o objectivo ùltimo seja rentabilizar os hospitais privados...

    Log in or register to post comments

  • Paulo OliveiraFERNANDO FLORES

    E se pensassem noutras

    Claro que o objetivo ultimo é rentabilizar os hospitais privados, então não sabe que os cerca de 15000 enfermeiros que contribuíram para esta greve + os que estão de greve (e também contribuíram) são acionistas de referencia dos Hospitais privados ? Eu diria mais, são os donos desses hospitais...

    Log in or register to post comments

  • FERNANDO FLORESPaulo Oliveira

    Não sei quem é que hoje está

    Não sei quem é que hoje está de piquete à caixa de comentários, mas adiante. Há tempos atrás, estava eu a atirar pedras a uns castanheiros para fazer cair os ouriços, quando lá do fundo vem o dono com a cabeça a sangrar. Ao ver qual era o meu objetivo procurou um sorriso (ou seria um esgar? ).Percebi a sua compreensão pelo dano, e logo de seguida demos uns afetuosos abraços (ainda hoje me vêm à memória sempre que há mudança de tempo...).

    Log in or register to post comments

  • Paulo OliveiraFERNANDO FLORES

    I Rest My case

    I Rest My case...
    Abraço afectuoso e feliz Natal.
    PS - cuidado com as castanhas, Dizem que por vezes rebentam na boca...

    Log in or register to post comments

  • FERNANDO FLORESPaulo Oliveira

    Era minha intenção pôr DONO

    Era minha intenção pôr DONO entre comas ("dono") mas tive receio que fosse interpretado à luz da semiologia...meter comas neste assunto não me pareceu boa ideia...Agradeço os votos e retribuo com um bom ano de 2019.

    Log in or register to post comments

  • ana clara silva gomesFERNANDO FLORES

    Outras formas de luta......como por exemplo?

    Enfermeiro presta cuidados de saúde, ou seja é "gente" que cuida de 'gente".
    A Greve dos Enfermeiros só pode ser aos cuidados a "gente".... Porquê nos BO??
    Porque é o setor da saúde que faz mossa aos CA dos Hospitais e consequentemente ao governo.
    Os restantes setores só fazem mossa aos doentes e na magra carteira dos enfermeiros.
    As cirurgias afetadas são as programadas, a prioridade é atribuída pelo médico.
    Os serviços mínimos são sempre assegurados, os enfermeiros ainda mantiveram sala suplementar.
    Tente saber se foram rentabilidades estas salas na totalidade do seu horário...... talvez tenha uma grande surpresa!
    Os Enfermeiros são pessoas de bem.....por isso foram esperando nós últimos 14 anos que o governo deste país os reconhece se como pessoas que praticam o bem.......hoje reconhecemos tempo demais.....o governo e a sociedade Portuguesa habituaram se a ter cuidados de excelência (reconhecida em toda a Europa e além....) a troco de quase nada......
    Se nos pagassem as contas de certo todos faríamos voluntariado..... A Madre Teresa de Calcutá tinha as contas pagas....
    Lamentamos que os sucessivos governos nos tenham feito chegar aqui.
    A população pode ajudar a terminar isto mais cedo....inundem o mail da assembleia da república com a exigência de um SNS com excelência.....
    Obrigada a todos.

    Log in or register to post comments

  • Pedro Alexandre Moutinho de Oliveira

    Talvez devamos parar a Autoeuropa.

    Quando comecei a trabalhar recebia quase 3 ordenados mínimos. Passados 20 anos recebo 2 e com o aumento do ordenado mínimo do próximo ano nem isso... Se isto não é perder poder de compra, ser desconsiderado e desvalorizado, então não sei o que possa ser. Um trabalhador da Autoeuropa, indiferenciado na maioria dos casos, não concordou com 1800€ mensais a trabalhar por turno porque fzaia mal à saúde pessoal e familiar... então deveríamos estar todos a morrer. Se calhar, se pararmos a Autoeuropa, este governo faça algo... É MUITO TRISTE...

    Log in or register to post comments

  • Fábio Lourenço

    Pelo SNS e pela enfermagem!

    Pode haver muitas ideias divergentes entre nós mas, nestes tempos, temos que estar mais unidos que nunca, com naturalidade.

    Log in or register to post comments

  • Eng.º Perfeito Aguiar

    Carreira condigna para os enfermeiros.

    A luta é perfeitamente justa, pois os políticos são incompetentes.
    É com esta arrogância que o primeiro- ministro pretende que os portugueses emigrados voltem ao país, incluindo os enfermeiros, para serem ignorados e desprezados pelo ministério da saúde.
    São estes profissionais que acompanham os utentes do SNS no seu sofrimento e recobro e muitas vezes o único companheiro à sua cabeceira quando finalmente deixam esta vida.
    Haja decoro. Se a ministra do mar resolveu o conflito com os estivadores em luta, por causa da AutoEuropa (não foi com certeza pelos trabalhadores), que o ministério de saúde faça o mesmo pelos portugueses e utentes do depauperado SNS.

    Log in or register to post comments

10842 members of the PPL community
support this campaign

  • 4710
    new backers

  • 6132
    recurrent backers

  • 1355
    anonymous backers

Meet the people helping this dream come true