Projecto Dar a Mão
Giving Tuesday

Projecto Dar a Mão

A candidatura do Projecto Dar a Mão ao GIVING TUESDAY , tem como objectivo e de carácter urgente, aquisição/construção//adaptação de uma infra-estrutura para implementação de um...

A candidatura do Projecto Dar a Mão ao GIVING TUESDAY , tem como objectivo e de carácter urgente, aquisição/construção//adaptação de uma infra-estrutura para implementação de uma residência temporária, a fim de acolher doentes, particularmente mulheres/mães com crianças que se encontram dispersas em situação de precariedade, miséria e condições de habitabilidade desumanas, dificultando o tratamento e devido acompanhamento. No dia 3 de Dezembro não fiquem indiferentes. DAR A MÃO, será um ge...

PROSAUDESC - Associação de Promotores de Saúde, Ambiente e Desenvolvimento Sócio-Cultural é uma Instituição Particular de Solidariedade Social - IPSS, fundada em Abril de 2000 com contribuinte nº 504 922 548 e com sede em Lisboa.

NATUREZA E MISSÃO

A Associação tem como missão, a promoção da saúde e acção social, voltada para o empowerment das comunidades mais desfavorecidas e vulneráveis. Em termos preventivos, consiste em sensibilizar, formar/ informar, sobre a prevenção de doenças e educação para a saúde. Sendo uma organização de base comunitária com serviços de proximidade, tem vindo de igual forma a assumir um importante papel na resolução dos problemas concretos na área da acção social, fortalecendo de forma decisiva os meios disponíveis para combater/minimizar a pobreza e exclusão social, através de prestação de cuidados e apoios sociais, proporcionando assim melhor qualidade de vida as Comunidades.

GIVING TUESDAY- FUNDAMENTAÇÃO À CANDIDATURA

Ao longo desses anos a PROSAUDESC tem desenvolvido vários projectos, apoiando indivíduos familias e idosos. E a par destes grupos alvos, tem vindo de igual forma a apoiar cidadãos/doentes dos  Paises de Língua Oficial Portuguesa (PALOPS), evacuados com juntas médicas que vêm através de alguns acordos complexos e com muitas deficiências na sua operacionalidade. Pois, os doentes ao a chegarem a Portugal, além dos problemas de saúde grave que trazem, são pessoas, grande parte delas mulheres, em situação de vulnerabilidade e psicologicamente afectadas com inúmeros problemas sociais. As Embaixadas e Consolados com deficiências na capacidade de respostas, vão gerindo de acordo aos poucos meios disponíveis pelos seus Países.

Por outro lado, os acordos assinados em 1977 com o Governo Português para uma cotação de 150 a 200 doentes anuais, já não correspondem as realidades actuais. Muitos não têm suportes familiares e enfrentam muitas dificuldades de sobrevivências, situações de pobreza extrema e desumanamente deploráveis. Uma das maiores dificuldades é a falta de habitação/acolhimento. Vivem em casas sem mínimas condições de habitabilidade, outros em quartos sublotados incluindo com crianças/recém nascidos, sendo cada um com a sua patologia pondo em risco a saúde publica. Alguns permanecem nos hospitais por muito tempo, criando até dificuldades de gestão hospitalar para outros doentes.Estes doentes não são acompanhados em tratamentos e muitas vezes a barreira linguística e a literacia constitui dificuldades na intervenção.

Grande parte destes doentes estão espalhados em toda a área metropolitana de Lisboa. Embora este, seja um Assunto do Estado na qual a morosidade nas respostas sobrepõe os princípios e valores Humanitários, a PROSAUDESC enquanto Instituição Particular de Solidariedade Social, tem como dever Dar a Mão, onde o Estado não consegue chegar. Assim a Associação entendeu apresentar esta candidatura (Dar a Mão) a Campanha Giving Tuesday.

O Dar a Mão é um Projecto de cariz social definida em 3 fases, todas elas pertinentes e que se complementam entre si.

 a) A primeira fase, consistiu a auscultação dos doentes e sua caracterização, acção de sensibilização junto das entidades públicas e privadas;

b)A segunda fase do projecto, já considerado momentos de acção, consistiu em apoiar os doentes a fim de minimizar as dificuldades e os problemas que enfrentam

c) A terceira  fase –   OBJECTIVO GERAL

2– O objectivo geral nesta fase é  aquisição de uma residência para acolher, prestar cuidados e promover melhor qualidade de vida aos doentes dos PALOPS ( Países da Lingua Oficial Portuguesa), evacuados com juntas médicas.

2.1- A pertinência desta fase projecto, em termos de objectivos terá uma dupla resposta com carácter inovador, pois além de acolhimentos e serviços integrados, proporcionará as mulheres/beneficiarias do projecto, alternativas através acções de formação, aquisição de competências pessoais, sociais para o projecto de vida futura, após alta medica.

 

3- OBJECTIVOS ESPECÍFICOS

3.1.– Aquisição  e adaptação de uma residência para acolher doentes dos PALOPS;

3.2 –Prestar apoios psicossociais aos doentes e acompanhantes, provenientes de acordos de cooperação em situação de vulnerabilidade residentes na área metropolitana de Lisboa.

3.3 -Fomentar sinergias, mobilização contínuo e estabelecimento de parcerias;

3.4 - Promover a sustentabilidade para a operacionalidade da residência;

4.- GRUPOS ALVOS

Doentes dos Países da Lingua Oficial Portuguesa (PALOPS), particularmente S.Tomé e Príncipe evacuados com juntas médicas:

(Mulheres e Mães Com Crianças)

5-RESULTADOS ESPERADOS

5.1-Garantir habitação temporária para 15 a 20 mulheres com crianças/doentes; Contribuir para a melhoria da qualidade de vida, equilíbrio emocional e o bem estar; Assegurar a prestação de cuidados de saúde aos acompanhantes de juntas médicas; Contribuir para a ocupação de tempos livres durante as suas estadias em Portugal; Diminuir o impacto negativo nas pessoas afectadas, evitando a exclusão social; Articular com a embaixada para a gestão dos doentes em termos de acolhimentos temporários (saída e entrada de novos doentes); Investir no acompanhamento dos doentes e acompanhantes, desde suas chegadas até os seus retornos ao País de Origem;

6.1 Observação

Solicitamos o financiamento para a aquisição/compra de uma residência. Entretanto toda a ajuda será bem vinda. Por isso estamos disponíveis para receber outras alternativas nomeadamente, cedência de edifícios meio devolutos na qual podemos reabilitar; assim como outros apoios entre eles, electrodomésticos, mobiliarios, computadores, produtos de higiene, biombos, bem como figuras públicas que queiram dar voz ao projecto.

A entrega dos produtos equipamentos ou outros bens, poderão ser feitas no espaço da Associação, na Rua Raul Rego lote nº 12- Alta de Lisboa - Freguesia de Santa Clara- Lisboa, através do contacto prévio, (967492201). Para doação financeira, agradecemos o contacto por email, prosaudesc@gmail.com, facebook/instagram ou directamente na conta indicada.

E para qualquer informação adicional agradecemos o contacto prévio através dos nºs telefónicos, 935459365, 309900247.

Sobre o promotor

A Associação tem como missão, a promoção da saúde e acção social, voltada para o empowerment das comunidades mais desfavorecidas e vulneráveis. Em termos preventivos, consiste em sensibilizar, formar/ informar, sobre a prevenção de doenças e educação para a saúde. Sendo  uma organização de base comunitária com serviços de proximidade,  tem vindo  de igual  forma a assumir um importante papel  na resolução dos problemas concretos na área da acção social, fortalecendo de forma decisiva os meios disponíveis para combater/minimizar a pobreza e exclusão social, através de  prestação de cuidados e apoios sociais, proporcionando assim melhor qualidade de vida as Comunidades. Ao longo desses anos tem desenvolvido vários projectos, apoiando indivíduos familias e idosos. E a par destes grupos alvos, tem vindo de igual forma a apoiar cidadãos/doentes dos PALOPS evacuados com juntas médicas que vêm através de alguns acordos complexos e com muitas deficiências na sua operacionalidade. Pois, os doentes ao a chegarem  a Portugal, além dos problemas de saúde grave que trazem, são pessoas, grande parte delas mulheres, em situação de vulnerabilidade e psicologicamente afectadas com inúmeros problemas sociais. As Embaixadas e Consolados com deficiências na capacidade de respostas, vão  gerindo de acordo aos poucos meios disponíveis pelos  seus Países . Por outro lado, os acordos assinados em 1977 com o Governo Português para uma cotação de  150 a 200 doentes anuais,   já não correspondem as realidades actuais. Muitos  não têm suportes familiares e enfrentam muitas dificuldades de sobrevivências, situações  de pobreza extrema e desumanamente deploráveis. Uma das maiores dificuldades é a falta de habitação. Vivem em casas sem mínimas condições de habitabilidade, outros em quartos sublotados incluindo com crianças/recém nascidos, sendo cada um com a sua patologia pondo em risco a saúde publica. Alguns permanecem nos hospitais por muito tempo, criando até dificuldades de gestão hospitalar para outros doentes.Estes doentes não são acompanhados em tratamentos e muitas vezes a barreira linguística  e a literacia constitui dificuldades na intervenção. Grande parte destes doentes estão espalhados  em toda a área metropolitana de Lisboa. Embora este,  seja um Assunto do Estado na qual a morosidade nas respostas sobrepõe os princípios e valores Humanitários, a PROSAUDESC enquanto Instituição Particular de Solidariedade Social, tem como dever  Dar a Mão, onde o Estado não consegue chegar. Assim a Associação entendeu  apresentar esta candidatura (Dar a Mão) a Campanha Giving Tuesday. O Dar a Mão é um Projecto de cariz social  definida em  3 fases, todas elas pertinentes  e que  se  complementam entre si.

Orçamento e Calendarização

ORÇAMENTO PREVISTO

1 – Compra do espaço --------------------------------------------850 000 euros

2 -  Documentos administrativos e escritura---------------  5250 euros

3.- Aquisição de imobiliário e equipamentos----------------- 15 000 euros

4 – Despesas de comodato---------------------------------------- 5000 euros          

Total de Despesas------------------------------------------------------- 875 250 euros

Sex, 06/12/2019 - 07:40

Lançamento da campanha

28/11/2019

0 membros da comunidade PPL
apoiam esta campanha

  • 0
    novos apoiantes

  • 0
    apoiantes recorrentes

  • 0
    apoiantes anónimos

Conhece quem está a tornar este sonho realidade