Compreender a transmissão cultural, promover a integração!
PPL Causas

Compreender a transmissão cultural, promover a integração!

Este estudo inova por apontar novas direcções à investigação, e por ter o potencial de melhorar iniciativas para promover o multiculturalismo e a integração de refugiados. O apo...

Este estudo inova por apontar novas direcções à investigação, e por ter o potencial de melhorar iniciativas para promover o multiculturalismo e a integração de refugiados. O apoio é necessário para pagar a taxa de publicação na Plos One.

Vídeo de apresentação em Italiano: https://youtu.be/MGSyve_dT-Q

Caríssimos Curiosos,

Venho por este meio pedir apoio para a publicação do artigo científico “Examining acculturation in mixed-couples to test cultural transmission mechanisms”. Faço-o, não só por não dispor de qualquer apoio institucional para pagar a taxa de publicação, mas também por estar convicto acerca do impacto social positivo que este artigo poderá produzir, em resposta aos presentes fluxos migratórios. Isto porque este trabalho de investigação pretende revelar, propondo metodologias bastante inovadoras, quais os factores responsáveis pela adaptação a uma segunda cultura. Inovou-se, por exemplo, por se ter utilizado uma amostra de casais mistos nativos-estrangeiros para melhor compreender o fenómeno em causa. Ora, estudos como este são fundamentais para sensibilizar a comunidade científica e a sociedade civil para a necessidade de aumentar os nossos esforços para criar projectos de integração bem informados na Europa; para a necessidade de desviar os nossos investimentos em campos de refugiados e pushbacks (ilegais) para um esforço eficaz em integrar. Mas deixem-me que vos conte um pouco da história de bastidores:

Memories from Emiglia-Romagna, Bologna's regions, the city where I lived during the fieldwork.

Concluí o meu mestrado em 2019, com uma tese desenhada por mim – que incluiu a recolha de dados em Portugal, mas sobretudo a realização de trabalho de campo em Itália, na altura um país central na dita “crise dos refugiados”, muito devido aos desembarques em Lampedusa. Estas notícias da altura foi uma das questões que me levou a querer fazer um estudo à volta do multiculturalismo. Eu próprio tinha experenciado a minha dose de xenofobia em Inglaterra, onde estava a estudar. Portanto, de certa forma conseguia pôr-me do lado dos migrantes e entender o esforço e a dificuldade que tinham de enfrentar ao chegar à Europa. E assim, fui-me perguntando: Que factores são responsáveis pela aculturação? E como é que podemos facilitar este processo? – contudo, não encontrava respostas satisfatórias na literatura científica em que fui mergulhando. Por exemplo, muitos estudos focavam-se no domínio da língua, afirmando que este era o principal catalizador da aculturação; mas esta aptidão é, em si mesma, parte do processo de aculturação, pelo que havia aqui claramente reformulações a fazer...

Outro motivo por detrás desta ideia, foi o facto de eu próprio integrar uma relação multicultural. De modo que eu estava também sensibilizado acerca das dinâmicas vividas por tais casais. De um lado, tinha a pergunta “Como é que posso ajudar os migrantes a adaptarem-se às nossas culturas?”, e, do outro, “Como raio é que eu vou sobreviver à minha relação?!” – uma combinação deveras interessante! Assim foi que me apercebi de que os casais mistos são uma população-alvo com propriedades únicas para o estudo da transmissão cultural, pois representa, como vem referido no artigo: “a particular two-way process of cultural exchange (…) [with] asymmetrical inputs”. Como dizia um amigo meu, eu estava numa posição perfeita, era a minha própria cobaia!

E esta foi a história que me fazer embarcar para Itália, viajando de Turim (Piemonte) até Ravello (Campania); entregando o questionário pessoalmente sempre que possível, a fim de assegurar a validade do estudo e recolher ideias relevantes durante as minhas conversas com os participantes, ao todo, 163! Por isso, este estudo inova também por ir contra o comum comodismo de realizar amostras nos aludos do primeiro ano de Psicologia. Não, esta é uma amostra que contém uma generosa fatia de diversidade Humana! Além do mais, esta abordagem cara-a-cara é de grande importância, pois permite aproximar a ciência do dia-a-dia das pessoas!

Two colleagues from the master, Héloïse (down), and Iulia, who made the linguistic review of the study.

Sobre o promotor

Bernardo Guerra Machado:

Há 26 anos que Vagueia por aí, munido de potentíssimas sobrancelhas made in Portugal. Apesar de ser incapaz beber de copos de champanhe por ser pencudo, conseguiu obter um mestrado em Evolução e Comportamento Humano. Em vez de trufas, prefere recolher histórias. Interessa-se pela diversidade cultural, e pela Vida em geral (respirar, por exemplo).

Este artigo foi feito a partir da minha tese de mestrado. Estou convicto de que terá muitos contributos para dar à sociedade e à investigação na área da transmissão cultural - por favor ajudem-me a manter o artigo online e disponível para toda a gente!

With Hermenegildo, in Canterbury, where we were both studying.

Orçamento e Calendarização

Taxa de publicação: 1600€

Taxa da PPL: 165€

 

O trabalho de campo foi feito em 2019. O artigo foi aceite em 2022. A publicação deu-se a 6 de Abril. A taxa de publicação deve ser paga logo que possível.

Dom, 29/05/2022 - 00:41

Ter, 17/05/2022 - 13:47

Já somos 20

Já chegámos aos primeiros 20 apoiantes. Vamos continuar!

Sáb, 16/04/2022 - 20:36

Primeiros cinco apoiantes

Reunimos os primeiros cinco apoiantes. Força!

Lançamento da campanha

12/04/2022

20 membros da comunidade PPL
apoiam esta campanha

  • 18
    novos apoiantes

  • 2
    apoiantes recorrentes

  • 7
    apoiantes anónimos

Conhece quem está a tornar este sonho realidade

  • Thuy-vy Nguyen

    17/05/2022 - 13:47

    Good luck! I saw this through Roger Giner-Sorolla's tweet in case you want to analyse your reach

  • Anónimo

    09/05/2022 - 08:33

    Round 2 - good luck

  • Anónimo

    08/05/2022 - 12:56

    O Vento sopra onde quer... Jo 3:8

  • Bibas Vasconcelos

    01/05/2022 - 20:42

    Boa Bernardo!

  • Stamatis Kapasakis

    30/04/2022 - 09:04

    Συγχαρητήρια για το υπέροχο άρθρο!

  • Mariana Bessa

    28/04/2022 - 23:22

  • Carlos Torres

    28/04/2022 - 11:55

    O teu mecenas.

  • Anónimo

    27/04/2022 - 02:34

    amo-te lindo

  • Maria Manuela Brito Bustorff Guerra

    24/04/2022 - 17:12

    Congratulations for the excelent paper

  • Anónimo

    23/04/2022 - 16:26

  • Anónimo

    23/04/2022 - 12:15

    Por uma boa causa!

  • Anónimo

    22/04/2022 - 22:28

  • Anónimo

    20/04/2022 - 17:15

  • Anónimo

    19/04/2022 - 23:10

    As melhoras, grande abraço!

  • Hannah Kuhn

    18/04/2022 - 22:32

    Muito boa sorte! Beijocas dos alemães

  • Iulia Costache

    17/04/2022 - 11:03

    Congrats, Bernie. I hope you reach your goal.

  • Raquel Ferrari Pina

    16/04/2022 - 20:36

    Bernardo!! Sempre a surpreender! aqui vai a minha pequena contribuição para o teu projeto :) Boa sorte!! Abreijos, Raquel

  • Henrique Silva Pereira

    16/04/2022 - 15:50

    Boa sorte mano!

  • Luís Pedro Q. Alves

    13/04/2022 - 21:23

    Mais uma vez, parabéns pela publicação! Muito sucesso!